Vibrolipoaspiração

Por: Dr. Rafael Vidigal

A lipoaspiração e o implante de silicone mamário são os procedimentos que mais movimentam os consultórios e clínicas de cirurgia plástica. Nesse cenário, novas técnicas têm sido desenvolvidas, visando a mais conforto, segurança e recuperação mais rápida, além de resultados satisfatórios aos pacientes, como a vibrolipoaspiração.

A cirurgia de lipoaspiração consiste em tratar o excesso de tecido gorduroso acumulado no subcutâneo por meio de seringas e cânulas que aspiram os adipócitos — células que armazenam gordura. A partir de movimentos de vaivém que exercem pressão negativa, é possível realizar a aspiração e alcançar os resultados estéticos propostos pelo tratamento.

A vibrolipoaspiração, evolução moderna da lipoaspiração tradicional, traz como diferencial o uso de um aparelho (conduzido pelo cirurgião) acoplado à cânula e que vibra continuamente atingindo milhares de movimentos por minuto, facilitando o deslocamento e a aspiração da gordura, remodelando e melhorando o contorno corporal.

A técnica tem chamado a atenção por tornar o procedimento operatório mais rápido, menos traumático, com captação da gordura em excelente qualidade para ser utilizada para enxertia, remodelação e contorno principalmente dos glúteos e mamas.

Indicações

A vibrolipoaspiração é indicada para mulheres e homens que desejam tratar os acúmulos de gordura localizada, remodelar e melhorar o contorno corporal. Seus efeitos são mais visíveis em pessoas sem sobrepeso. O objetivo da técnica é retirar tecidos sobressalentes que não reduzem com alimentação saudável e exercícios físicos.

Evidentemente, ocorre uma diminuição do peso corporal, mas vale ressaltar que não se trata de um tratamento para emagrecimento. Sendo assim, é feita a avaliação adequada do perfil do paciente e algumas pessoas precisam eliminar um percentual de quilos antes de se submeterem à vibrolipoaspiração.

Os resultados na modelagem do corpo e na redução das medidas podem e devem ser reforçados com manutenção contínua, o que inclui hábitos alimentares saudáveis e prática de exercícios físicos regulares. Caso contrário, a gordura pode acumular nos locais mais suscetíveis. As áreas do corpo que mais apresentam gordura localizada são: abdômen, flancos, coxas, costas, lateral das mamas, braços e pescoço.

Independentemente da quantidade de gordura que a paciente queira retirar, o seguro e permitido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) é de no máximo 7% do peso e 40% de área corporal. Contudo, não são exatamente os quilos a menos que vão melhorar o aspecto estético, os resultados são otimizados a partir de fatores como a qualidade da pele, elasticidade, presença ou não de flacidez, capacidade de retração da pele e a localização da gordura retirada.

Procedimento de vibrolipoaspiração

No procedimento de vibrolipoaspiração, os pacientes normalmente recebem anestesia do tipo peridural com sedação (maioria), mas há casos específicos que o médico anestesiologista pode indicar a anestesia geral (raro). O tempo de cirurgia é de 3 a 4 horas, dependendo do volume de gordura, da área que será aspirada e se será realizado enxertia da gordura.

Por meio de pequenas incisões em locais estratégicos, é injetada uma solução fisiológica para reduzir o trauma, o sangramento e facilitar a saída da gordura. Em seguida, cânulas são acopladas ao aparelho e inseridas para a aspiração da gordura, o que é feito a partir do movimento vibratório e de vaivém que desloca a gordura e permite que o conteúdo seja sugado por um aspirador cirúrgico. Os movimentos são controlados de forma contínua pelo cirurgião.

A vibrolipoaspiração torna o procedimento mais tranquilo, rápido e menos traumático por não demandar que o cirurgião utilize de força para fazer a gordura soltar e ser aspirada como anteriormente na lipoaspiração tradicional (cânula ou seringa). Para isso, as cânulas são ligadas a um aparelho que promove vibração, movidos por ar comprimido ou força elétrica.

Assim, o cirurgião direciona o aparelho na área que necessita de aspiração de forma mais delicada, sem impor sua força ou realizar movimentos bruscos, conseguindo assim trabalhar com sutileza a remodelação e definição do contorno corporal.

O aparelho de vibrolipo consegue atingir até 3.000 movimentos por minuto, com um avanço de 3 a 5 mm. Dessa forma, a gordura é retirada com mais facilidade, mesmo em regiões de tecido adiposo fibroso. Essa técnica ainda permite uma redução no sangramento, em comparação à lipoaspiração convencional.

Em síntese, os resultados não diferem de uma técnica para outra, isto é, a retirada da gordura é igualmente obtida. Entretanto, a vibrolipoaspiração apresenta os seguintes benefícios:

  • menor tempo de cirurgia;
  • sangramento reduzido;
  • menor risco de perfuração (menos força utilizada);
  • delicadeza para modelagem e definição do contorno corporal;
  • menos equimose (manchas roxas).

Pós-operatório e possíveis complicações

Como a vibrolipo é uma técnica cirúrgica que demanda menos força traumática para extração da gordura, isso torna a recuperação pós-operatória mais confortável. A dor é tratada com uso de medicamentos apropriados.

O edema (inchaço) é muito comum e sua regressão é progressiva com o passar dos meses e estimulada com procedimentos estéticos, como sessões de drenagem linfática. A recuperação completa também depende de repouso adequado e obediência às orientações médicas.

O repouso maior deve ser feito nos primeiros três dias após a cirurgia. As atividade habituais são retomadas em torno de 5 a 7 dias. Já os exercícios físicos leves podem ser retomados a partir de 15 dias, seguindo um aumento gradual.

Cintas de pós-operatório e modeladoras também são recomendadas por até 90 dias e é importante que elas sejam confortáveis e não apertadas para evitar feridas e, na pior das hipóteses, necrose de pele.

Os resultados são plenamente observados após meses, tempo que varia de um caso para o outro, visto que depende tanto do perfil da pessoa quanto de seus hábitos diários. Trata-se de um processo que foi facilitado pela cirurgia plástica, mas que também requer esforços pessoais para a manutenção do novo contorno corporal.

Em relação à cicatrização, o tempo definitivo é de 18 meses, mas após 1 mês de cirurgia os locais das incisões já apresentam bom aspecto.

Apesar do baixo risco de complicações, a vibrolipoaspiração é uma cirurgia e como tal não se pode descartar a ocorrência de infecções, alergias, embolia pulmonar, perfuração de órgãos, hemorragia, eventos trombóticos, entre outros.

Todas as medidas profiláticas são sempre recomendadas e utilizadas, como o uso de bota de pressão intermitente durante o ato operatório e até iniciar a deambulação, medicamentos anticoagulantes, além do uso de meias elásticas antitrombo e da deambulação precoce.

É oportuno destacar que, dependendo do perfil e dos objetivos do paciente, a vibrolipoaspiração (e a lipo convencional) como procedimento isolado pode não atender às completas expectativas, sendo a melhor forma de manter o resultado e o peso ideal ter a prática de hábitos saudáveis, alimentação balanceada e atividade física regular.

Os pacientes portadores de flacidez de pele, dobras de pele ou excesso de pele vão necessitar, além do tratamento da gordura localizada, associar cirurgias para retirada do excesso de pele, como na área do abdome, a abdominoplastia ou miniplástica de abdome.